CSO's

1/21/2009 10:01:00 PM / Posted by Daniel Alonso /

Vendo a atual conjuntura economica (sempre começava meus textos de economia assim), que vai gerar brigas de faca pela atenção do receoso e poupador consumidor, e as atitudes de algumas empresas, eu prevejo a proliferação de uma nova especie de animal: O Chief Show Officer.

O consumidor sempre preferiu a imagem de uma pessoa humana mais que uma logomarca, tanto que a muitas empresas e marcas utilizam pessoas reais para se promover, o que é muito mais eficiente, já que é difícil para um adulto confiar no que o Ursinho Puff está promovendo. Os CEOs nunca foram usados como ferramenta de marketing, por motivos óbvios já que usualmente eles não são o melhor exemplo de relações públicas, tendo até efeitos negativos de sua exposição.

Steve Jobs pode estar saindo de cena, mas ele vai deixar um legado que deve durar algum tempo, já que muitas empresas descobriram que a cara do "dono" e a mais eficiente cara que podem dar à empresa. A Apple deu sorte porque a magia em torno do Jobs se gerou sozinha, frente a toda mística que ele mesmo criou em torno de seus produtos e obviamente a qualidade de showman que ele tem. Uma pena que essa mesma qualidade agora se volta contra ele, com toda a especulação sobre sua saúde e o futuro da companhia sem o mastermind do fenomeno da maçã.

Steve Jobs não é o único exemplo de CSO, temos o Richard Branson, os irmãos google e até o nosso "presidente de fachada" Lula.



Minha aposta de um CE(S)O que vai dar muito que falar é o Shai Agassi, primeiro porque o cara fala bem e segundo porque está se metendo num mercado trilhonário mas com aquele espirito hippie do "dinheiro não me importa" e "salvemos o planeta",que está bem na moda hoje em dia.



Agora a Microsoft é que vai ter que trabalhar bem o Steve Ballmer, porque o cara pode ser bom gestor e estrategista, agora... showman?

Labels:

1 comments:

Anônimo on 1/21/2009 9:57 PM

Pois é meu caro Daniel... sua teoria é interessante. Aliás, foi assim que surgiram as marcas neste mundo.

Quando os produtos passarama a ser industrializados e portanto deixaram de ter a "cara" do Ze da padoca ou da Maria dos doces, as empresas tiveram que atribuir uma identidade aos produtos. Foi assim que surgiram as marcas como as "caras". Por exemplo Uncle Bens, Johnny Walker, Old Mother Owl (famoso OMO), etc.

Por outro lado, as marcas sempre apelaram para as figuras "fisica" como endoursers das suas marcas... por exemplo Lux com a Giselle Bundchen, Gillete com o David Beckham, Nike com o Ronaldo, etc.

O risco de associar a marcar a uma "cara real" é que ficam vinculadas e isto traz atributos positivos e alguns riscos. Por exemplo, as acoes da Apple despencaram quando sairam rumores que o Steve Jobs tinha tido um ataque cardiaco: http://www.theglobeandmail.com/servlet/story/RTGAM.20081003.wgtapple1003/BNStory/Technology/home

abs
Paul

Postar um comentário